Conferencista Edimilson Garcia

terça-feira, 17 de maio de 2011

O PECADO


Introdução:
Deus é soberano. Está acima de todas as coisas. Ele é o criador de tudo e tudo foi feito para o louvor da Sua glória. Não somos nada, a não ser seres criados para o louvor da glória de Deus. Com Cristo, somos mais que vencedores (Rm 8.37). Sós, não somos nada. A criação se dá não por mero capricho de Deus, mas porque na Sua infinda sabedoria Ele viu isso como o melhor caminho. Depois da criação, onde fomos feitos a imagem e semelhança de Deus (Gn 1.26), deveríamos administrar a criação, vivendo de acordo com a vontade desse Deus que é soberano e para o louvor da Sua glória. Mas não foi isso que aconteceu. Passamos a estudar o que nos tirou desse plano, lembrando que Jesus é o caminho de volta para Deus (Jo 14.6).

 Pensando sobre pecado:
         Deus criou o ser humano a Sua Imagem e Semelhança, dando a este uma vida muito abençoada e próspera. Deus dá liberdade e autoridade para o homem e para a mulher de administrarem a Sua criação. (Gn 1.26, lembrando sempre que a Bíblia coloca em questão de hierarquia: homem, mulher, demais criação);
         homem e a mulher não estão satisfeitos com o que já alcançaram diante da autorização de Deus e transgridem  os limites estabelecidos por Ele (Gn. 3.1-6).
         O pecado acaba se caracterizando por uma desobediência à vontade de Deus. Só conhecemos o que é vontade de Deus quando conhecemos a Sua Palavra. Só saberemos quando estamos errados/as quando deixarmos essa Palavra ser vida em nossa vida. Temos que deixar, também, o Espírito Santo nos convencer do pecado, da justiça e do juízo (Jo 16.8). Deixar que ele mesmo sonde nos nossos corações, nos livrando de faltas que nos são até mesmo ocultas (Sl 19.12; 139.23-24).

Pecado e sua Natureza

         Pecado é aquilo que fazemos contra a vontade de Deus ou deixamos de fazer, sendo a vontade Dele. É desobediência.
         A criação é boa. Tudo o que Deus fez, Ele viu que era bom (Gn 1). Mas, por que os defeitos de uma pessoa sobressaem às virtudes? O Pecado. Por causa dele, nós que somos falhos, vemos mais rapidamente as falhas dos outros. Mas todo o ser criado tem sua característica boa. Hoje vemos como que um espelho; logo veremos face a face (1 Co 13.12).
         Precisamos abandonar essa prática e voltar ao desígnio de Deus (Mc. 1.14-15).
         A incredulidade e a desobediência à vontade de Deus desviaram o ser humano para a ausência delE. O ser humano, não crendo no amor e misericórdia de Deus, tornou-se ganancioso, rebelde, desobediente, mentiroso, idólatra, inimigo de si mesmo… Isto aparece como conseqüência de sua incredulidade.
     A mensagem pregada por João Batista e por Jesus, é a do arrependimento: “arrependei-vos e crede no evangelho”. Jesus convida o ser humano para uma íntima reconciliação com Deus.

Conseqüências do Pecado

         O pecado separa o homem da Imagem e da Semelhança de Deus (Gn 18.17-33).
         O pecado arrasta o ser humano para uma vida em total desarmonia com o Criador (Dt 24.16).
         A mais dolorosa conseqüência do pecado é a morte, ou seja, o distanciamento total de Deus (Jo 8.24).
         O ser humano, criado a Imagem e Semelhança do seu Criador, pode escolher entre o bem e o mal. Entre o pecar e o não pecar. Mas isso quando está buscando essa natureza (a Mente de Cristo – Ef 4.12-14), uma vez que a natureza do ser humano tende naturalmente para o pecado (Rm). A escolha pelo pecado nos leva para a morte e para a ausência de Deus, uma vez que não há comunhão entre luz e trevas (2 Co 6.14).

Fugir do pecado nos proporciona:

Isaías 1.18
         Novo Nascimento (Jo 3 – Jesus com Nicodemos).
         O pecado passa a não ter mais domínio sobre a pessoa que acolhe o Senhorio de Deus em sua vida (regenerada), “Porque todo o que é nascido de Deus vence o mundo; e esta é a vitória que vence o mundo, a nossa fé”. (1 Jo. 5.4).
         Novo Nascimento ou Regeneração é, portanto, a transformação que Deus opera no ser humano quando, pelo Espírito Santo, regenera-o totalmente, modificando o seu centro de referência (Rm).
         Mas, e se pecarmos? 1 Jo 2.1 e 2.

Forte abraço.
Em Cristo,

Postar um comentário