Conferencista Edimilson Garcia

sábado, 14 de maio de 2011

SOMOS CHAMADOS PARA SER ADORADORES


João 4.24
24 
Deus é Espírito, e importa que os que o adoram o adorem em espírito e em verdade.

O que é ser adorador / adorar?
O termo adoração deriva da palavra em latim adorare, que significa 'falar com', que em outras palavras significa 'Ter comunhão com'.  O dicionário Aurélio define adorar (ser adorador) como: 'render culto; reverenciar, venerar; amar extremosamente; gostar muitíssimo de'.  Entretanto, Adoração não fica só nessa definição: podemos perceber que a adoração é como uma estrada de duplo sentido, pois é inspirada por Deus, mas deve ser correspondida pelo homem.
Como adorare significa 'ter comunhão com', adoração implica em algumas atitudes:
1. amizade (ser amigo de Deus / conhecimento, intimidade obtida através da leitura da Bíblia e da Oração e fazendo a Sua vontade - Jo 15.14),
2. preocupação (em derrotar o pecado em sua vida  -  ex.: Is 6.5; preocupação ao ponto de perguntar em cada atitude: 'em meus passos, o que faria Jesus?' - parafraseando o livro, colocando Deus no centro das preocupações),
3. aprender a agradar (só se pode agradar alguém conhecendo o seu coração, e só se aprende a agradar a Deus, conhecendo Seu coração e Sua Palavra. O desejo de Deus para o adorador é capacitá-lo a entender o que é agradável ao Seu coração.  É importante lembrar que não se aprende a adorar a Deus da noite para o dia! Por isso, em suas orações diárias, o adorador deve constantemente pedir que Deus se deixe revelar, e Ele certamente o fará),
4. doação (doação completa da vida do adorador para Deus. O adorador tem a obrigação de se dedicar inteiramente a Deus, doando tempo para o serviço de Deus e principalmente para Deus.) .
O dom que Ele nos deu (música, palavra etc) pode substituir o relacionamento diário com Deus, mas a vida deve ser inteligentemente balanceada entre Deus e o dom.  Lembrando que doar é dar sem pedir de volta!, isto é, um relacionamento profundo. 
Para o povo hebreu, o significado de adoração era algo realmente diferente daquilo que muitas vezes pensamos hoje em dia. A adoração era tomada como um estilo de vida.  Para eles isto não significava atividades no templo, cultos, música etc., mas sim, ter como modo de vida a adoração diária e constante, ou seja, de comunhão, de intimidade diária e constante (não oscilante).
Devemos levar outras pessoas a esta vida de adoração, de conhecimento e intimidade de/com Deus, mas como levar as pessoas a adorar se a pessoa não é alguém que sabe adorar?

Deus o/a abençoe!
Abraços.
Postar um comentário