Conferencista Edimilson Garcia

quinta-feira, 26 de setembro de 2013

Cap 4 - O Terceiro Mandamento Exodo 20.1-17



Introdução
Como vimos anteriormente, os quatro primeiros mandamentos tratam dos deveres do homem para com Deus. O primeiro nos ensina a quem devemos adorar, enquanto o segundo, a maneira como devemos adorar. Este terceiro mandamento nos informa a respeito da exigência de Deus quanto a forma reverente ou o correto espírito de adoração.
Este será o tópico da nossa lição.
O Nome de Deus ! Êxodo 20:7
Os nomes na língua hebraica têm sempre um significado. O nome de Deus representa tudo o que Ele tem revelado a Seu respeito. Isto inclui Seus nomes, títulos, atributos, autoridade, palavra e adoração. Confiar no nome de Deus é confiar em Seu poder, amor e sabedoria (Provérbios 18:10; Salmo 20:1). Conhecer o nome de Deus é conhecer a respeito dEle (João 17:6). Pregar o nome de Deus é fazê-Lo conhecido (Atos 9:15). Agir no nome de Deus é agir sob Sua autoridade (Mateus 28:19; II Tessalonicenses 3:6). O lugar que Deus tem colocado Seu nome é a instituição onde reside a autoridade para trabalhar (Mateus 18:20; I Reis 8:29).
I. O Dever Explicado ? Êxodo 20:7
Tendo entendido completamente o significado do !Nome de Deus?, agora podemos entender a importância do terceiro mandamento. Ele não somente demanda reverência e o devido respeito aos nomes e títulos de Deus, mas também a tudo o que diz respeito a Ele e a Sua obra. Nós somos proibidos de adorá-Lo de maneira errada ou negligente (Salmo 111:9). Seu nome deve ser !santificado? ou separado (Mateus 6:9). As coisas consagradas e associadas a Deus, como por exemplo a casa de Deus ou a Sua Palavra, devem ser devidamente respeitadas. Os deveres para com o nome de Deus implícitos aqui são os seguintes:
A. Amor ! Amor cumpre esta lei e também todas as outras (Romanos 13:10). Somente aqueles que verdadeiramente amam a Deus é que guardam este mandamento (Salmo 5:11; Isaías 26:8). Mateus 6:9 nos ensina que o foco apropriado da oração vem somente daqueles que amam o nome de Deus e desejam vê-Lo glorificado.
B. Temor ! Uma devida reverência à Deus é exigida (Deuteronômio 28:58).
C. Confiança ! Nada honra mais a Deus do que a nossa confiança nEle (Salmo 33:21).
D. Glória ! Nós deveríamos pensar, falar e agir para a glória de Deus (Isaías 25:1; Salmo 113:1).
II. Coisas Proibidas pelo Terceiro Mandamento
O homem quebra esta lei quando utiliza os nomes ou títulos de Deus, ou ora, adora ou fala das coisas associadas ao Senhor por qualquer outra razão que não seja o desejo de honrá-Lo. Isto pode ser feito da seguinte maneira:
A. Não se deve falar das coisas divinas em vão ou sem propósito, muito menos ainda em piadas ou brincadeiras.
B. Não devemos falar, adorar, ou invocar o Senhor sem a devida reverência. A majestade é um atributo de Deus. A irreverência tem sido uma característica da adoração moderna.
C. O nome de Deus nunca deve ser utilizado de forma vã ou para amaldiçoar alguém (Jeremias 23:10). Há, no entanto, colocações corretas e justas (Gálatas 1:8; I Coríntios 16:22).
D. O nome de Deus não deve ser usado em juramentos desnecessários, quando um simples !sim? ou ?não? é suficiente (Tiago 5:12).
E. Como é assustador pensarmos que alguém pode ir tão longe a ponto de blasfemar ou insultar Deus. Há um tipo de blasfêmia que é imperdoável (Mateus 12:31-32).
F. Eufemismos devem ser evitados. Eufemismo é a forma branda de dizer certas coisas, ou suavizar as palavras. Tome cuidado com o uso de expressões que imitam o som similar aos dos nomes ou dos títulos de Deus. É comum vermos pessoas dizendo: Ai meu Deus, meu Jesus, meu Jesus Cristinho, o Cara lá de cima. 
G. Os homens tomam o nome de Deus em vão quando tentam justificar suas maldades. Isto inclui toda falsa adoração ou falsa doutrina ensinada como a verdade de Deus. Os homens que pregam o falso evangelho estão tomando o nome de Deus em vão.
H. O nome de Deus é usado de maneira vã quando utilizado para lucro próprio. Isto condena aqueles que entram no ministério ou mesmo gravam musicas Cristãs por mero interesse material. Pense naqueles que se unem a uma igreja apenas visando negócios ou por motivos políticos.
I. Toda a adoração fria ou formal é uma transgressão ao terceiro mandamento. Esta lei é quebrada com maior freqüência na igreja do que em lugares mundanos. Vamos nos lembrar de termos os nossos corações sintonizados antes de virmos adorar ao Senhor (Mateus 15:8).
J. As pessoas que falsamente reivindicam ser filhos de Deus estão tomando o nome de Deus em vão. Professar Cristo como Salvador é tomar o Seu nome (Atos 11:26). Estejamos realmente certos de que Ele é realmente o nosso Deus (Deuteronômio 28:58).
K. Quando nós professamos a Cristo como Salvador e O desonramos com as nossas vidas estamos tomando o Seu nome em vão (Romanos 2:24).
III. A Penalidade ! Êxodo 20:7
Toda lei carrega uma penalidade para aquele que a desobedece. Este mandamento traz consigo um aviso específico. Sem dúvida isto é mencionado devido a tendência insolente do homem pensar a respeito deste pecado. A maioria nem sequer reconhece este pecado. Eles pensam que a adoração falsa ou formal é boa. Mesmo aqueles que xingam e praguejam, defendem esta prática como sendo !somente palavras? (Mateus 12:36-37).
Lembre-se que mesmo na sociedade o homem pode ser processado por calúnia ou por infringir direitos autorais. Muitos vão à justiça por algo dito a respeito deles ou da sua família. Os juízes penalizam aqueles que faltam com o devido respeito ao tribunal. Quanto mais culpados serão os homens por abusar ou fizer mau uso do nome de Deus ou faltar com a devida reverência para com Sua Palavra ou pessoa.
IV. O Uso desta Lei
A. A lei de Deus conduz o homem a convicção do pecado (Romanos 3:19-20). Este terceiro mandamento tem freqüentemente conduzido o homem a enxergar a sua culpa diante de Deus e a necessidade de um Salvador. Sem o novo nascimento o homem nunca irá reverenciar a Deus.
B. Este mandamento nos ensina, como cristãos, o dever de manter nossos corações  sintonizados para a adoração e o serviço de Deus (Provérbios 4:23). A glória de Deus deve ser o nosso primeiro objetivo (Mateus 6:9).
C. Que nós possamos, como igreja, aprender bem a nossa responsabilidade de louvar e honrar a Deus na adoração pública (Salmo 89:7). 




Postar um comentário