Conferencista Edimilson Garcia

quinta-feira, 26 de setembro de 2013

Cap 5 - O Quarto Mandamentos Exodo 20.1-17



Introdução
Encontramos o Quarto Mandamento em Êxodo 20:8-11. A palavra !sábado? significa !descanso? ou ?cessação?. Note como este mandamento se encaixa na primeira parte da lei:
Primeiro Mandamento ! Quem adoramos
Segundo Mandamento ! Como adoramos
Terceiro Mandamento ! Reverência e realidade na adoração
Quarto Mandamento ! Dia de adoração
O Quarto Mandamento é o único que os evangélicos largamente diferem na sua interpretação.
O Sábado Judaico
O Sábado era um sinal da aliança entre Deus e Israel (Êxodo 31:12-16). No sétimo dia Israel devia se abster do trabalho ordinário, carregar qualquer coisa, viagens longas, acender fogo, juntar lenha ou maná e negociar (Êxodo 35:3, 16:22-26, Neemias 13:15-22). Somente casos que envolvessem exigência, misericórdia, ou piedade eram permitidos (Mateus 12:1-13, Números 28:9-10, Levítico 24:5-8). Israel devia se regozijar neste dia (Isaías 58:13-14), mas haveria julgamento se o Sábado fosse quebrado (Êxodo 31:14, Números 15:32-36). O abuso do Sábado por parte de Israel era um tema comum dos profetas.
I. O Dia do Senhor
Os primeiros santos começaram a dedicar o primeiro dia da semana para adoração após a ressurreição de Cristo. Isto foi, é claro, uma alteração definitiva da prática da Velha Aliança. Isto ficou evidenciado da seguinte maneira:
A. O Exemplo Apostólico
O Novo Testamento ensina tanto pelo preceito quanto pelo exemplo. Jesus Cristo e Seus apóstolos abriram um precedente claro quanto a observância do primeiro dia da semana. Veja os seguintes versículos:
·                    Mateus 28:1
·                    João 20:19 e 26
·                    Atos 20:6-7
·                    I Coríntios 16:1-2
·                    Atos 2:1-47 (O dia de Pentecostes ocorreu no domingo)

B. Testemunho Histórico
Philip Schaff, na sua famosa obra sobre A História da Igreja (volume 2, página 201), escreve:
A celebração do dia do Senhor em memória da ressurreição de Cristo data, sem dúvida, da era apostólica. Não há nada fora do precedente apostólico que aponte para a observância universal nas igrejas do segundo século. Não há nenhuma voz contrária a isto.
C. O Dia do Senhor
Historicamente falando, houve um grande consenso em interpretar Apocalipse 1:10 como uma referência ao primeiro dia da semana.
II. Uma Questão Difícil
Tendo brevemente visto o dia de adoração tanto no Velho quanto no Novo Testamento, agora estamos prontos a considerar o ponto de discórdia. Qual a relação existente entre o Sábado e o Dia do Senhor? Alguns acreditam que o Sábado passou a ser o primeiro dia da semana, sendo assim o domingo agora é o !Sábado Cristão?. Outros crêem que o Sábado foi abolido no Calvário e que o Dia do Senhor não tem nenhuma relação com o mesmo.
Esta questão realmente envolve a natureza do Quarto Mandamento. Ele fazia parte da imutável lei moral ou era apenas de natureza cerimonial e positiva?  A lei moral são mandamentos que refletem a natureza de Deus e a imutável distinção entre o certo e o errado (compare Êxodo 20:16 com Tito 1:2). A lei positiva, por outro lado, são mandamentos de Deus que podem ser ab-rogados por Deus quando Seus propósitos são cumpridos. Os sacrifícios levíticos ou o batismo e a Ceia do Senhor são exemplos da lei positiva. Vamos ver agora os dois lados deste debate sobre o Sábado.
A. Argumentos usados para provar que o Sábado era somente de Natureza Positiva
1. Dizem que o Sábado é um sinal da aliança com Israel, portanto é estritamente de natureza da Velha Aliança.
2. O Quarto Mandamento é o único que não foi reafirmado após o Calvário e faz parte da Lei cerimonial. Nenhum cristão do Novo Testamento foi repreendido por quebrar o Sábado. O domingo nunca foi chamado de o Sábado.
3. Nenhum cristão deve ser julgado pela observância do Sábado (Romanos 14:5-8). Neste mesmo tópico, Colossenses 2:16-17 cobre todo sistema da Velha Aliança quanto aos Sábados e os dias santos.
4. Se o Sábado tivesse sido mudado o livro de Atos e as epístolas relatariam a discussão a respeito disso. Certamente os Judeus convertidos teriam debatido a esse respeito. Não há nenhuma relato a este respeito.
5. As igrejas apostólicas se baseavam na ressurreição de Cristo para a observância do domingo. Eles nunca ligaram ou se referiram a este dia como sendo o Sábado.
B. Argumentos usados para afirmar que o Quarto Mandamento era parte da Lei Moral
Antes de prosseguirmos, devemos entender que mesmo aqueles que interpretam o domingo como sendo o !Sábado Cristão? reconhecem que o Quarto Mandamento contém algo de natureza positiva, de outro modo, não teria sido mudado de forma alguma. Eles entendem que aquilo que envolve o sétimo dia ou as leis referentes a nação de Israel eram de natureza temporária. Tendo dito isto, prossigamos com as provas apresentadas para provar a natureza moral do Quarto Mandamento.
1.  A instituição do Sábado remonta a época da criação. O princípio moral foi incorporado a Velha Aliança, mas não teve o sei início ali (Gênesis 2:1-3, Êxodo 20:11). Isto fica mais evidenciado pelo fato do homem sempre contar o tempo usando a semana de sete dias. Diferente do dia de vinte e quatro horas, baseado na rotação da terra, a semana de sete dias não tem base na natureza. O Sábado é uma ordenança da Criação e reflete a vontade de Deus para que o homem separe um dia, em sete, para descanso, reflexão e adoração.
2. Todos dez Mandamentos foram escritos em pedra e refletem o caráter da natureza santa de Deus e Sua vontade para o homem. Por que uma lei de natureza meramente positiva seria colocada entre eles?
3. Cristo deixou claro que o Sábado foi introduzido para o benefício do homem (Marcos 2:27, Êxodo 20:8-11). Desde que o homem tem esta necessidade, certamente a lei deve permanecer a fim de supri-la.
4. Sob o regime da Nova Aliança, os cristãos separaram um dia entre os sete para adoração de Deus. Isto não revela a base do princípio do Sábado?
5. Deus não revelou muitas vezes Sua vontade pelo exemplo apostólico? Isto não se aplicaria também a mudança do Sábado?
III.  Conclusão
Notamos as provas aparentemente contrárias usadas neste debate. Infelizmente, nem sempre é fácil conciliar completamente as várias nuances da verdade revelada nas escrituras. Vamos encerrar com algumas observações que podem ser úteis.
A. O Quarto Mandamento é claramente único no sentido de possuir, no mínimo, elementos da lei positiva. É daí que surgem as dificuldades dos homens interpretá-lo.
B. Vamos exercitar o amor com aqueles que divergem de nós nas questões difíceis.
C. Devemos tomar cuidado em evitar posições extremas que não estão baseadas no conhecimento completo das escrituras sobre o mesmo. Por exemplo: Por haver fortes evidências dos elementos da natureza da lei moral do Quarto Mandamento, seria fácil cairmos no legalismo não compatível com o relato do Novo Testamento.
D. Mesmo que o debate sobre terminologia não tenha um final em nossa época, não é claro o nosso dever? O domingo é o Dia do Senhor e deve ser observado em conformidade com o exemplo apostólico.

Postar um comentário