Conferencista Edimilson Garcia

segunda-feira, 28 de outubro de 2013

Tema: A eleição de Israel



Capítulos 9, 10 e 11
Capítulo 9
 
Os próximos 3 capítulos tratam a história espiritual de Israel: passada (cap.9), presente (cap.10), e futuro (cap.11). 
Paulo vai explicar como Deus abandonou temporariamente Seu povo Israel, o que é o propósito de Deus para com os gentios, e como no futuro Deus restaurará o seu povo Israel a sua posição exaltada. 
I. A eleição de Israel - 9:1-13
1. As bênçãos da eleição - 9:1-5 
Note a compaixão de Paulo para os judeus. Esta compaixão faz-nos lembrar a de Moisés em Ex.32:32 quando ele disse, "Agora., pois, perdoa o seu pecado, se não risca-me peço-te, do teu livro que tens escrito." 
Que pena que todos os crentes não tem a mesma compaixão de Paulo e Moisés. Cristo nos amou de tal maneira que morreu na cruz em nosso lugar, e assim devemos dizer com Paulo, "Eu sou devedor tanto a gregos como a bárbaros; tanto a sábios como a ignorantes." (Rom.14) 
As benção da eleição dos judeus são:
1). A ADORAÇÃO - escolhidos por Deus porque Ele nos amou - Isa.43:20-21
2). A GLÓRIA - a presença de Deus no tabernáculo - Ex.24:16-17
3). OS PACTOS - com Abraão, com a nação, e com Davi. 
4). A LEI - Deus não a deu aos gentios, mas a Israel 
5). O MINISTÉRIO - no tabernáculo e no templo 
6). AS PROMESSAS - centenas de promessas que os judeus ainda vão receber.
7). OS PATRIARCAS - Abraão, Isaque, Jacó, etc... 
8). O MESSIAS - Cristo é judeu, da tribo de Judá. 
Nenhuma nação no mundo recebeu estas bênçãos e ainda Israel rejeitou-as junto com a salvação em Cristo Jesus. 
O crente de hoje faz parte do povo de Deus e tem o privilégio de receber as mesmas bênçãos de: adoração (Efés.1:5); glória (Efés.1:6-7); o novo testamento do sangue de Cristo; a lei escrita no seu coração (Heb.10:16-17); o privilégio de ser sacerdote de Cristo (1Pedro.1:4); Ter Abraão como nosso pai espiritual (Gal.3:7). 
2. A base da eleição - 9:6-13 
Na eleição Deus usou sua vontade soberana para fazer Seu plano perfeito. Estamos falando agora da eleição nacional ou de Israel. Em outros capítulos, Paulo fala da eleição pessoal ou individual, mas aqui estamos estudando o plano de Deus para Israel. 
a. ABRAÃO - foi escolhido como pai da nação de Israel, mas Paulo nota que nem todos de Israel são verdadeiros filhos de Abraão. (Também.2:25-29) 
b. ISAQUE - era o filho da promessa (Gal.4:21-31), enquanto Ismael era o filho da carne pelas obras. A verdadeira semente de Abraão é aquele que crê e não somente aqueles que tem sangue de judeus. 
c. JACÓ - Deus não escolheu Esaú, o primogênito, mas escolheu Jacó antes do seu nascimento. Porque? Para mostrar que 
a vontade de Deus será cumprida na eleição nacional de Israel. 
II. A defesa da eleição de Israel - 9:14-33 
Há várias perguntas acerca da eleição de Israel: 
1. Há injustiça com Deus? - 9:14-18 
A resposta é NÃO- Eleição não depende da justiça mas depende da graça. Se Deus fizesse o que é justo, Ele mandaria todos, incluindo os judeus, para o inferno. 
Paulo usa Moisés (Ex.33:19) e Faraó (Ex.9:16) como exemplos do fato que Deus pode fazer o que quiser na dispensação da Sua graça e misericórdia. Ninguém merece a misericórdia de Deus e ninguém pode condenar a Deus por ter escolhido Israel e não as outras nações. 
2. Se ninguém pode resistir a vontade de Deus, como é que Ele pode culpar alguém? - 9:29 
Para fazer uma resposta, Paulo usa a parábola do oleiro de Jer.18:1-6. Deus é o oleiro e as nações do mundo e os seus povos são os vasos. Alguns são vasos para desonra e destruição e serão destruídos; outros são vasos de honra em que Deus pode revelar Sua glória. Estes vasos de honra representam crentes, judeus e gentios (Rom.9:24, "os quais somos nós"). 
Em vs.25-26, Paulo usa as palavras de Deus em Oséias.2:23 e 1:10 para mostrar que Deus prometeu chamar um povo dos gentios, um povo chamado, "Filhos do Deus vivo" (vs.26). Paulo usa também Isa.10:22-23 para mostrar que Deus vai salvar só um remanescente dos judeus. Agora sabemos que o propósito da eleição é salvar judeus e gentios. Sem a graça de Deus nenhuma pessoa, seja judeu, seja gentio, será salvo. 
3. O que diremos pois sobre os gentios? - 9:30-33 
Aqui é o paradoxo da história. Os judeus se esforçam para ser justos e foram rejeitados; os gentios, quem não tiveram os privilégios que os judeus tiveram, foram recebidos. Isso porque os judeus tentaram conseguir a justiça pelas obras, enquanto os gentios receberam justiça PELA FÉ através da GRAÇA DE DEUS. Os judeus tropeçaram sobre um messias crucificado (veja Isa.8:14; 28:16; Mat.21:42; 1Cor.1:23; 1Ped.2:6-8). Eles queriam um messias quem dirigisse a nação à vitória política; não podiam acreditar num Cristo crucificado. 
O propósito de Paulo neste capítulo é explicar a posição de Israel no plano de Deus. Israel era uma nação escolhida, dado privilégios que nenhuma outra nação recebeu; porém, ela fracassou miseravelmente em seguir o programa que Deus tinha dado para abençoar o mundo. O capítulo inteiro exalta a graça soberana de Deus. A palavra de Deus prevalecerá não obstante a desobediência do homem; mas o homem perderá a benção. Todo crente deve saber isto: sem graça soberana de Deus, não haveria salvação. 


Capítulo 10
Tema: Israel rejeita Deus e a Sua justiça
Este capítulo explica a péssima condição espiritual de Israel. 
I. A razão da rejeição - 10:1-13 
A palavra chave aqui é JUSTIÇA. Os judeus queriam justiça mas a procurou no lugar errado. Como os Fariseus em Mat.25:15, os judeus gastaram muito tempo, força, e dinheiro para ganhar a justiça, mas tudo isso foi feito em ignorância. As pessoas religiosas estão fazendo a mesma coisa hoje em dia com suas boas obras. Deus não aceitou este tipo de justiça dos judeus, e não aceita hoje em dia dos gentios. 
A Bíblia fala de dois tipos de justiça: justiça pelas boas obras ou pela obediência à lei, e justiça pela fé que é o Dom gratuito de Deus a todos que aceitam Seu Filho. 
Os judeus não aceitaram a justiça pela fé, mas rejeitaram Cristo e sem saber que Deus fez a lei não para salvar mas para mostrar a necessidade de salvação para o pecador e aquela salvação está em Cristo. 
Deus não usa mais a lei para julgar o homem, mas agora usa a cruz onde Cristo morreu. Quem crê não está condenado mas quem não crê já está condenado porquanto não crê no nome do Unigênito Filho de Deus (João 3:19). 
No Velho Testamento encontramos a justiça pela lei em Lev.18:5; a justiça pela fé encontramos em Deut.30:12-14. 
No trecho em Deuteronômio está usado para mostrar que a Palavra de Deus é acessível facilmente, e que Cristo está perto e pronto a salvar. Vs.6-8 são um exemplo do uso (por Paulo) de trechos do Velho Testamento para comunicar a verdade do Novo Testamento. Em Deut.30:11-14, Moisés avisa o povo que está contra a obediência à palavra de Deus. Ele faz lembrar que não tem que ir ao céu, ou atravessar o mar, para achar a palavra de Deus: está nos seus lábios e nos seus corações. Paulo aplica isto a Cristo, a Palavra (João.1:1), e explica que Israel não precisa trazer Cristo do céu outra vez, porque a palavra de salvação está perto e eles podem crer e ser salvos. 
A salvação vem quando um homem confessa que "Jesus é o Senhor", e crê no seu coração que Cristo ressuscitou dos mortos. O que é crido no coração é confessado publicamente com a boca. Alguns dos judeus no tempo de Cristo não O confessaria publicamente (João.12:42-43). Quando o pecador recebe Cristo pela fé e O confessa publicamente, provando a sua fé, ele recebe o Dom da justiça de Deus. 
No  vs.11 Paulo refere-se a Isa.28:16, como ele já fez em Rom.9:33. Os judeus não gostaram da palavra "Todo" porque tiveram a idéia de ser o único povo "escolhido" por Deus. No v.13, Paulo refere-se a Joel.2:32 para provar que "Todo aquele que invocar o nome do Senhor será salvo". Não há diferença entre judeus e gentios com referência a salvação, porque todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus (Rom.3:23). 
II. O remédio para rejeição - 10:14-17
A seqüência é o seguinte: 
(1) Deus manda o pregador; 
(2) Ele prega a palavra; 
(3) O pecador escuta a palavra; 
(4) O pecador crê na Palavra; 
(5) O pecador clama a Deus; 
(6) O pecador está salvo- O argumento aqui é simplesmente que nenhum homem pode ser salvo sem ouvir a Palavra de Deus, porque "Fé pelo ouvir, e o ouvir pela Palavra de Deus." (vs.17). 
No vs.15 Paulo refere-se a Isa.52-7, um vs. Que só será cumprido quando Israel é mais uma vez nação e com Jesus reinando. Nós usamos vs.14-15 com base para enviar missionário às nações gentias hoje em dia, e temos razão mas a verdade básica deste trecho é levar o evangelho aos judeus HOJE EM DIA. Nós levamos o evangelho aos judeus hoje em dia, não por causa de Rom.1:16, "primeiro do judeu", mas por causa de Rom.10:14-15. Se compartilharmos com Paulo o desejo de ver Israel salvo, também compartilharemos com o judeu as boas novas de Jesus. Quem leva o evangelho aos perdidos (sejam judeus, sejam gentios) tem pés formosos nos olhos de Deus. 
O que é a atitude de Israel acerca de Jesus hoje em dia? A resposta achamos em vs.16 e Isa.53:1, "Quem creu na nossa pregação?" Israel não aceitou Jesus enquanto Ele andou no mundo (João.12:37-38), nem durante o tempo dos apóstolos e a primeira igreja (Atos.1-7), e nem hoje os judeus, como nação, aceitam Cristo. Paulo refere-se a Sal.19:1-4 em vs.18 para mostrar que pela natureza a Palavra de Deus já foi pregada aos confins da terra, e assim Israel está sem desculpas. 
III. O resultado da rejeição - 10:18-21 
O resultado da rejeição de Cristo pelo Israel é que o evangelho está sendo levado aos gentios e Deus está separando deles um povo Seu (Atos.15). Isto não é surpresa porque Deus revelou em Deut.32:21 o Seu plano de usar outras nações para provocar Israel a ciúmes. Isa.65:1-2 mostra que Israel seria rebelde, e que os gentios buscariam a Deus e a Sua salvação. Vamos lembrar que o Velho Testamento falou da salvação dos gentios, mas nunca colocou o gentio no mesmo nível de judeus diante de Deus. O Velho Testamento ensinou a salvação dos gentios pela exaltação de Israel. Mas Israel não foi exaltado, mas caiu e assim, que é que Deus vai fazer com os gentios? Paulo mostra em Romanos, cap.9-11, que pela caída de Israel, a misericordia veio aos gentios (11:11). "Deus encerrou a todos debaixo da desobediência, para com todos usar de misericórdia." (11:32). 
Rom.10:21, mostra a atitude de Deus para com os judeus hoje em dia. Os judeus estão cegos e incrédulos (2Cor.3:15, 4:6) (Rom.11:25), mas Deus deseja a salvação dos judeus tanto como os gentios. Não vamos esquecer que os judeus nos deu a Bíblia e o Salvador, e até pela sua queda, a salvação veio aos gentios. 
Para fazer um relatório deste capítulo, basta dizer três coisas: 
  1 - Salvação não é difícil e é para todos. "Porque todo aquele que invocar o nome do Senhor será salvo." 
  2 - É absolutamente necessário PREGAR A PALAVRA DE DEUS para um pecador ser salvo. 
  3 - Há somente dois tipos de religiões no mundo: 
       a). Justiça pela fé; 
       b). Justiça pelas obras. 
 
 
Capítulo 11
Tema: A redenção de Israel 
Neste capítulo vamos ver o futuro de Israel e receber a resposta da pergunta "Deus tem abandonado Seu povo Israel permanentemente, ou ainda há esperança para a redenção e recuperação deste povo?" 
I. A prova pessoal - 11:1 
"Também sou israelita", diz Paulo para mostrar que sua salvação é uma prova que Deus ainda salva o judeu. A salvação de Paulo é um exemplo (1Tim.1:16), para todos que querem aprender, que Deus ainda salva o judeu e que vai salvar muito mais no Milênio. 
A salvação de Paulo não é um exemplo para a salvação dos gentios hoje em dia, mas para a salvação dos judeus quando Cristo vier. 
Paulo viu Cristo glorificado e ouviu Suas Palavras pessoalmente. Paulo era incrédulo e rebelde e perseguia os crentes em Cristo. 
Zacarias diz que os judeus, "olharão para mim, a quem traspassaram." (Zac.12:10) Em Apocalipse lemos: "Eis que vem com as nuvens, e todo olho o verá, até os mesmos que o traspassaram; e todas as tribos da terra se lamentarão sobre ele. Sim- Amém!" (Ap.1:7). 
Em 1Cor.15:8, Paulo diz que era, "como um abortivo", porque ele foi salvo centenas de anos antes da salvação da nação de Israel que só vai acontecer depois da vinda de Cristo. 
II. A prova histórica - 11:1, 10:10-18
Para mostrar que Deus sempre teve um remanescente até nos tempos de grande incredulidade da parte dos judeus. Na Bíblia sempre achamos Deus usando e abençoando aquele remanescente fiel. Um exemplo achamos em Isa.1:9. Sempre a maioria abandonou a fé e Deus usou um remanescente para começar de novo com Seu plano para Israel. 
Vs.5 nos diz que Deus está salvando judeus hoje em dia. Se Deus estivesse salvando judeus hoje em dia apesar da cegueira deles, é claro que salvará muito mais do Seu povo naquela época que vem quando Israel verá de novo a glória de Deus, mas esta vez manifestada em Jesus. 
III. A prova dispensativa - 11:11-24 
Paulo mostra nesse trecho que Deus tem um propósito dispensativo para permitir a queda de Israel, o de salvar os gentios. Pela queda de Israel, Deus agora condena todos os homens debaixo do pecado e assim trata todos iguais, seja judeu, seja gentio. Paulo agora nos faz lembrar que se a queda dos judeus trouxeram tão grandes bênçãos, a restauração deste mesmo povo, traria uma benção de vida dentre os mortos (vs.15). 
A parábola da oliveira (vs.16-24) está falando das nações dos judeus e  dos gentios e não de individuais. Israel é a oliveira que não produziu fruta. Deus quebrou alguns ramos e enxertou ramos do zambujeiro (gentios). Este enxerto foi contra a natureza (vs.24) porque geralmente o mais forte dos ramos está enxertado na mais fraca oliveira para melhorar. Deus fez o contrário para mostrar a Sua misericórdia salvando os gentios, e para mostrar a sua ira CORTANDO OS JUDEUS. Os gentios não podem ser orgulhosos porque Deus pode cortá-los também em qualquer momento de desobediência . 
Lembra-se que esta verdade é racional, porque Deus nunca cortará um verdadeiro crente e o lançará fora. "O que vem a mim de maneira nenhuma o lançarei fora." (João.6:37). 
IV. A prova bíblica - 11:25-36 
Neste capítulo Paulo já usou muitos trechos do Velho Testamento, mas agora ele usa Isa.59:20-21, Isa.27:9, e Sal.14:7 para mostrar que o Velho Testamento prometeu um Messias com poder de restaurar Israel. 
Vs.27 refere-se ao pacto de que Deus falou em Jer.30:31-34. É um pacto que Deus vai cumprir durante o milênio, quando Israel aceitará Jesus como Salvador e será restaurado à sua posição exaltada na obra de Deus. Embora os judeus parecem inimigos de Deus hoje em dia, eles são ainda amados nos olhos de Deus por causa do pacto que Deus fez com seus antepassados. Homens mudam, mas o vs.29 mostra que é impossível para Deus mudar ou desfazer Suas promessas (Tia.1:17). 
Nos vs.30-32, Paulo usa o exemplo dos gentios que antes rejeitaram Jesus mas que agora estão aceitando-O pela fé para mostrar que os judeus na misericórdia de Deus ainda aceitarão o Salvador. Deus incluiu judeus e gentios debaixo do pecado e assim pode salvar ambos pela Sua graça. 
Depois de pensar sobre o plano maravilhoso de Deus para a salvação de Israel, Paulo canta um hino de louvor a Deus. (vs.33-36)


Postar um comentário