Conferencista Edimilson Garcia

sexta-feira, 3 de janeiro de 2014

ESTUDOS RESUMIDOS DAS EPÍSTOLAS GERAIS




Quais São as Epístolas Gerais? Hebreus, Tiago, I Pedro, II Pedro, I João, II João, III João e Judas.
Porque o Nome – Epístolas Gerais?
1. Porque são escritos por homens variados – Tiago, Pedro, João e Judas. Não são escritos por um homem só, como as Epístolas de Paulo.
2. Não são escritos especificamente para uma em particular.
3. Estes livros falam de coisas acerca dos judeus dispersos em vários lugares. As epístolas de Paulo falam sobre as coisas acerca dos judeus e gentios.
Estas Epístolas são escritas para quem?
Hebreus.
1. Aos hebreus. Observe isso mesmo nos livros. Quem são os hebreus? Hebreus são judeus. Hebreus de onde ou de qual região? Os judeus dispersos em outros países fora da Palestina. Paulo é um exemplo de um judeu que não era da Palestina. Paulo era judeu, mas era da cidade de Tarso em Cicília. Vamos observar alguns fatos do conteúdo do livro para mostrar que é uma epístola escrita aos judeus dispersos nestas outras regiões.
2. Hebreus. 1:1 diz “aos pais, pelos profetas”. Tem com certeza um sabor judaico. Pelo livro é óbvio que o autor conheceu estes hebreus e eles conheceram o autor pessoalmente.
3. Um tempão tinha passado desde a conversão destes hebreus pelo fato que tinha que levar um bom tempo para desenvolver o perigo da heresia de misturar as verdades de Cristo com o judaísmo.
4. O autor e Timóteo tinham trabalhados juntos com eles. Hebreus 13:23. Isso indica que o autor do livro de Hebreus era o Apóstolo Paulo.
5. Houve um conflito entre eles e Paulo (se fosse o autor). Hebreus 13:18-25.
6. Foram perseguidos, mas não até a morte. Hebreus 10:32-34. 12:4. Não é a verdade dos judeus da Palestina. Atos 8:1. 9:1-2. Então, foram hebreus dispersos em outros lugares.
7. Estes hebreus foram conhecidos por ajudar os crentes necessitados. Hebreus 6:10.
8. Estavam no perigo de deixar as coisas de Deus e voltar ao judaísmo. Hebreus 2:1-3, 3:6, 12-14, 4:1-2.
9. Tudo isso cabe muito bem com os judeus da Ásia Menor – Galácia, Macedônia e Achaia. É onde Paulo viajou pregando o Evangelho.
Tiago.
1:1 diz: “Ás tribos que andam dispersas. Os judeus dos países estrangeiros que foram levados cativos a Assíria, Babilônia, pelo comércio e pelas perseguições de Saulo e de Atos 12. Para mostrar que muitos judeus estavam dispersos nestes países, é só ler Atos 2 para ver que muitos judeus de muitos países chegaram em Jerusalém para a Festa Judaica do Dia de Pentecostes.
I Pedro e II Pedro.
Em I Pedro 1:1 diz: “Aos judeus estrangeiros dispersos no Ponto, Galácia, Capadócia, Ásia e Bitínia”. Então estes livros foram escritos aos judeus nos vários lugares estrangeiros falados.
I João.
Não tem saudação. Deve ser escrito aos crentes na mesma região.
II João.
”À senhora eleita”. v.1. A palavra senhora é o nome Kuria e significa “senhora”. Também é usado como um nome verdadeiro como qualquer outro nome de alguém. Também esta palavra na sua forma masculina (Kurio) aparece muitas vezes no Testamento, e significa “senhor”. O único lugar no Testamento que esta palavra (kuria – senhora) é usada fica em II João 1. Esta palavra (kuria) nunca é usada para apresentar uma igreja. Porque? Porque a igreja de Jesus Cristo é agora identificada como sendo uma virgem – não pe casada ainda – está desposada para casar depois com Cristo. II Coríntios 11:2. Então, parece que João escreveu esta carta para uma senhora e seus filhos que conheceu.
III João.
Esta carta foi escrita “ao amado Gaio”. v.1. Um irmão na igreja que era muito fiel a Deus, É o mesmo Gaio em Atos 19:29, 20:4, Romanos 16:23 e I Coríntios 1:14?
Judas.
Diz no v. 1: “Aos chamados, santificados em Deus Pai, e conservados por Jesus Cristo. Esta carta foi escritas aos crentes sendo judeus ou gentios.
HEBREUS
Autor do livro.
O livro não diz claramente quem é o autor. Há várias opiniões de quem seja o autor. Qual é a certa? Só tem duas opiniões que são realmente críveis – ou alguém desconhecido ou o Apóstolo Paulo.
Nos tempos antigos foi tão certo para muitos que foi Paulo que escreveu este livro que aumentaram o seu nome no título do livro. O Apóstolo Pedro falou que foi Paulo em II Pedro 3:15? Pedro diz que Paulo escreveu uma carta para as mesmas pessoas que ele também escreveu. Pedro escreveu para os judeus dispersos. Qual das Epístolas de Paulo foi escrito para os judeus dispersos? Das 13 Epístolas de Paulo nenhuma pode ser a carta que Pedro falou em II Pedro 3:15. Então, só pode ser o livro de Hebreus que Pedro está falando. Parece que Paulo é o autor do livro de Hebreus.
Data do Livro.
64 d.C. O autor (Paulo) deste livro está preso quando escreveu. Hebreus 13:22-25. Também foi antes da destruição de Jerusalém em 70 d.C. Porque o templo foi destruído neste ano. Hebreus 10:11. Observe Filipenses 1:1. Colossenses 1:1. Filemom 1.
Propósito do livro.
Ensinar os judeus crentes que o judaísmo foi substituído pela cristandade. O conteúdo do livro revela o propósito do livro. Mostra o conflito entre os fariseus (e outros judeus) e os crentes em Jesus Cristo. E foi um conflito bastante grande. Observe esta questão revelada em Atos 15:1-2, 11, 20. Gálatas 1:6-9. 2:16. Filipenses 3:1-9.
Tema do livro.
Devem notar quantas vezes as palavras: “mais excelente”, “coisas melhores”, “maior”, “melhor”, são faladas. Exemplos: 1:4, 7:19, 7:22, 9:23, 10:34, 11:34, 11:40. Isso mostra que o cristianismo é melhor (mais excelente) do que o judaísmo. Jesus Cristo veio cumprir as coisas velhas da lei de Moisés no Velho Testamento. Neste livro um por um tudo que o judeu tomou por glorioso é mostrado que Jesus Cristo é melhor. Veja abaixo a superioridade de Jesus Cristo.
1. Superioridade de Jesus Cristo sobre os profetas. 1:1-3.
2. Superioridade de Jesus Cristo sobre os anjos. 1:4-2:18.
3. Superioridade de Jesus Cristo sobre Moisés. 3:1-19.
4. Superioridade de Jesus Cristo sobre Josué. 4:1-13.
5. Superioridade de Jesus Cristo sobre Arão. 4:14-7:18.
6. Superioridade de Jesus Cristo sobre Judaísmo. 7:19-10:39.
7. Superioridade de Jesus Cristo sobre os santos do Velho Testamento. 11:1-12:3.
Esboço simples do livro. Jesus Cristo, O Novo e Vivo Caminho.
1. Parte Doutrinária do Livro de Hebreus. 1:1-10:18.
2. Parte Prática do Livro de Hebreus. 10:19-13:25.
Esboço mais completo do livro. Jesus Cristo, O Novo e Vivo Caminho.
I. Jesus Cristo – O Superior Libertador. 1-7.
O Filho de Deus – Superior aos Profetas. 1:1-3.
O Deus-Homem - Superior aos Anjos. 1:3-2:18.
O Novo Apóstolo – Superior a Moisés. 3:1-19.
O Novo Líder – Superior a Josué. 4:1-13.
O Novo Sacerdote – Superior a Arão. 4:14-7:28.
II. Calvário – A Melhor Aliança. 8:1-10:18.
A Nova Aliança Tem Melhores Promessas. 8:1-13.
Ela Abre um Melhor Santuário. 9:1-15.
Ela é Confirmada por um Melhor Sacrifício. 9:15-28.
Ela Obtém Resultados Superiores. 10:1-18.
III. Fé – O Verdadeiro e Superior Princípio. 10:19-13:25.
Fé – A Verdadeira Resposta às Coisas Superiores. 10:19-39.
Fé – Exemplos dela. 11:1-40.
Fé – Suportar com Paciência Olhando para Jesus Cristo. 12:1-13.
Fé – Expressada na Santidade Prática. 12:14-13:21.
Despedida – 13:22-25.
TIAGO
Autor do livro.
Tiago, que foi o irmão de Judas que escreveu a Epístola de Judas. Tiago é o irmão de Jesus da parte da mãe. Marcos 6:3 diz que Tiago é o irmão mais velho de José e Maria.
Este Tiago não é o apóstolo, o irmão de João, porque ele morreu no ano 41 ou 42 d.C. Atos 12:1-2.
Tiago, o autor deste livro, não foi um dos apóstolos, porque não tem nada no livro que indica que ele foi um deles. João diz (7:5) que os irmãos de Jesus não creram dEle. Mas, em Atos 1:12-14, diz que depois da Sua ressurreição eles foram convertidos e este Tiago se tornou um grande líder e pastor da igreja em Jerusalém. Veja Atos 12:17, 15:12-13, 21:18, Gálatas 1:19, 2:19, 12. Josefo, o historiador judeu que era contemporâneo deles, diz que em 62 d.C. Tiago foi martirizado.
Os católicos gregos dizem que os irmãos e irmãs de Jesus falados no Novo Testamento são irmãos e irmãs de Jesus que José teve antes de casar com Maria, de outra mulher e casamento. Mateus 13:55-56. A Bíblia não fala nada disso. È uma tentativa de evitar o óbvio e tentar sustentar o seu erro. Qual erro? A doutrina da Virgindade Perpétua e a Conceição Imaculada de Maria.
Os católicos romanos dizem que estes irmãos (Mateus 13:55-56) são primos de Jesus. Mais uma vez é só tentar apoiar sua doutrina da Virgindade Perpétua e a Conceição Imaculada de Maria. Estes são irmãos e irmãs de Jesus da parte da sua mãe. Jesus foi chamado o primogênito filho de Maria. Se Jesus não tivesse irmãos e irmãs não seria necessário dizer que é o primogênito filho de Maria. Estes são os irmãos e irmãs de Jesus que Maria teve depois que Jesus nasceu. Maria concebeu Jesus pelo poder do Espírito Santo sendo ainda virgem. Mateus 1:18-25. Depois do seu nascimento Maria levou uma vida normal com seu marido José e teve vários filhos.
Data do livro.
Acerca do ano 45 d.C. Só um livro foi escritos mais cedo que Tiago, Mateus no ano 37 d.C. esta data (45) combina com a perseguição em Atos 12. O livro de Tiago não fala nada da controvérsia em Atos 15 que indica foi escrito antes.
Tema do livro.
As provas da fé.
Esboço simples do livro. As Provas da Fé ou o Crente Verdadeiro, Fiel e Maturo.
Capítulo 1. Paciência na Provação.
1. O crente no meio das provações. v. 1-12.
2. Como tratar a tentação. v. 13-18.
3. Enganando-se a si mesmo. v. 19-27.
Capítulo 2. Prática da Verdade.
1. Fé e Amor. v. 1-13.
2. Fé morta e falsa. v. 14-26.
Capítulo 3. Domínio da Língua.
1. A língua dominada – Exortação. v. 1-12.
2. A verdadeira sabedoria e de onde vem. v. 13-18.
Capítulo 4. As Coisas Mundanas Repreendidas.
1. Nossos deleites mundanos. v. 1-10.
2. Falar mal dos outros. v. 11-12.
3. Confiança mundana. v. 13-16.
4. Exortação final. v. 17.
Capítulo 5. Oração no Meio das Dificuldades.
1. O rico avisado. v. 1-6.
2. O poder da paciência. v. 7-12.
3. Vamos orar. v. 13-20.
Esboço mais completo do livro. As Provas da Fé ou o Crente Verdadeiro, Fiel e Maturo.
Capítulo 1. Paciência na Provação.
1. O crente no meio das provações. v. 1-12.
Gozo – v. 2.
Opera paciência – v. 3.
Vontade submissa – v. 4.
Pedir a sabedoria – v. 5-8.
Feliz e devoto a Deus apesar do resultado da provação – v. 9-12.
2. Como tratar a tentação. v. 13-18.
A provação vem de Deus para testar a nossa fé. É para nosso bem. È para nos aperfeiçoar e levar à justiça. A tentação para pecar vem de Satanás, da natureza velha e pecaminosa. Deus não nos tenta para pecar, porque a provação é para nosso bem. Se pecarmos na provação é por causa da nossa reação depravada e pecaminosa.
3. Enganar-se a si mesmo. v. 19-27.
A provação revela a maturidade do crente - v. 19-21.
Receber a Palavra – ouvir a verdade – Evitar falar besteira – O crente imaturo fala que não deve - v. 22-25.
Praticar a Palavra – Mais do que só ouvir. Não somos maturos e espirituais só porque ouvimos a Palavra – mais porque praticamos a Palavra - v. 26-27.
Observação – nos v. 19-21 a Palavra é a semente – nos v. 22-25 a Palavra é o espelho – nos v.26-27 a Palavra é para ser compartilhada com os outros. Assim o pensamento está completo.
Capítulo 2. Prática da Verdade na Vida.
1. A Fé verdadeira conhecida pela imparcialidade. v. 1-13.
Não fazer acepção de pessoas – nacionalidade, riqueza, sexo, aparência e etc.
Jesus Cristo é o mesmo e único Salvador para todos. Gálatas 3:26-29.
2. A fé morta e falsa. v. 14-26.
A prova da fé pelas obras – v. 14-20.
Exemplos da fé verdadeira – v. 21-26.
Capítulo 3. Domínio da Língua.
A fé provada pela língua – O crente verdadeiro, fiel e maturo domina e controla a língua.
1. A Língua Dominada. v. 1-18.
O freio e o leme – v. 1-4.
O fogo e os animais selvagens - v. 5-8.
A boca é a fonte de que? - v. 9-12.
2. A Verdadeira Sabedoria e de onde vem. v. 13-18.
Capítulo 4. As Coisas Mundanas Repreendidas. Evitar as coisas do mundo.
1. Nossos Deleites Mundanos. v. 1-10.
Só removendo as causas da guerra é que a guerra vai cessar – v. 1-3.
Deslealdade assim é comparada ao adultério. O egoísmo leva o crente fazer amizade com o mundo - v. 4-5.
Orgulho e Humildade. O orgulho é contra Deus e sua vontade, mas Deus resiste o soberbo - v. 6-7.
Devemos chegar-nos a Deus com santidade e pureza – v. 8.
A necessidade de se arrepender de verdade destas coisas – v.9.
É necessário humildade da nossa parte para depois ser exaltados por Deus – v. 10.
2. Falar mal dos outros. Indica que há guerra entre os crentes – v. 11-12.
3. Confiança Mundana. Fazer planos sem considerar a vontade de Deus – v. 13-16.
4. Exortação Final. Não fazer que sabemos que devemos fazer, é desobediência a Deus – v.17.
Capítulo 5. Oração no meio das Dificuldades.
1. O Rico Avisado. v. 1-6.
Estes ricos são culpados de ganhar sua riqueza de maneira errada e depois levar a vida luxa do dinheiro dos outros.
2. O poder da Paciência. v. 7-12.
Paciência para agüentar a dificuldade. Jesus Cristo virá para resolver tudo. Devemos ter paciência até que venha. Exemplos da paciência: os profetas e Jó. Devemos ter cuidado para não dizer que não devemos quando estamos no meio da dificuldade.
3. Vamos Orar. v. 13.
Oração deve ser o recurso do crente que sofre.
I PEDRO
Data do livro.
65 d.C. Logo depois do livro de Hebreus.
Autor do livro.
O Apóstolo Pedro. 1:1. Ele já está velho e ia deixar seu tabernáculo em breve. II Pedro 1:14.
Amanuense.
I Pedro 5:13. Amanuense significa copista alguém copia o que outra pessoa fala. O copista do livro é Silvano. Silvano é o nome de Silas em latim. Silas era o companheiro de Paulo que estava com Pedro.
Escrito de onde?
Babilônia – é a cidade mesma ou é simbólico? Alguns dizem que fala de Jerusalém simbolicamente por causa do pecado e iniqüidade da cidade nesta época. Outros dizem que fala de Roma simbolicamente por causa do pecado e perseguição de Nero e por isso tinha medo de nomear Roma claramente. É isso que os católicos dizem. É óbvio o motive deles nisso, eles têm que colocar Pedro em Roma para ser o primeiro papa. O Apóstolo Paulo escreveu uma carta aos crentes em Roma nesta mesma época e não teve nenhum problema. Outros dizem que fala de uma cidade perto de Cairo no Egito. Não existe nenhuma evidência que fala desta cidade. O que faz mais sentido é tomar isso literalmente. O sentido literal faz bom senso. Está falando da cidade de Babilônia à beira do rio Eufrates.
A Bíblia diz “A vossa co-eleita em Babilônia”. Foi uma igreja nesta cidade? Pareça que sim.
Meu filho Marcos.
I Pedro 5:13. Quem é este Marcos? Provavelmente seja João Marcos, o sobrinho de Barnabé.
Esboço simples do livro. Jesus Cristo, nossa Esperança e Exemplo em meio das Provações.
1. A Viva Esperança e Seus Complementos. 1:1-2:10.
A viva esperança (1:1-12) e a nossa reação (1:13-21). 1:1-21.
A Palavra viva (1:22-25) e a nossa reação a ela (1:26-2:3). 1:22-2:3.
A pedra viva (2:4) e a nossa relação com a mesma (2:5-10). 2:4-10.
2. A Vida do Peregrino e como vivê-la. 2:11-4:11.
Como cidadãos (2:12-17), como servos ((2:18-25), e como casados (3:1-7). 2:12-3:7.
Quanto aos de fora e à perseverança no sofrimento. 3:8-4:6.
Quanto aos crentes e ao serviço mútuo. 4:7-11.
3. O Fogo Ardente e como Suportá-lo. 4:12-5:14.
Alegria e a Volta do Senhor. 4:12-19.
Os Presbíteros e a Volta do Senhor. 5:1-4.
Humildade e Vigilância e a Volta do Senhor. 5:5-11.
Despedida. 5:12-14.
Esboço mais completo do livro. Jesus Cristo - Esperança e Exemplo em meio das Provações.
A Viva Esperança. 1:1-2:10.
1. A Saudação. 1:1-2.
2. A Gratidão pela tão Grande Salvação. 1:3-12.
A Salvação Descrita. 1:3-5.
As Experiências da Salvação. 1:6-9.
A Magnificência da Salvação. 1:10-12.
3. Exortações em Vista da tão Grande Salvação. 1:13-2:10.
A Santidade. 1:13-21.
O Amor Fraternal. 1:22-25.
Crescimento Cristão e Espiritual. 2:1-10.
Exortações em Vista da nossa Relação para com este Mundo. 2:11-4:11.
1. Como Peregrinos. 2:11-12.
2. Como Cidadãos. 2:13-17.
3. Como Servos de Deus. 2:18-25.
4. Como Maridos e Esposas. 3:1-7.
5. Como Servos de Deus. 3:8-22.
6. Como Crentes Maltratados e Mal-entendidos pelo Mundo. 4:1-6.
7. Como Crentes Esperando a Vinda do Salvador. 4:7-11.
Exortações em Vista das Provas Ardentes. 4:12-5:12.
1. Firmeza e Perseverança. 4:12-19.
A Atitude do Crente para com Sofrimento. 4:12-13.
O Sofrimento do Crente Considerado. 4:14.
As Causas do Sofrimento. 4:15-16.
O Juízo de Deus no Sofrimento. 4:17-18.
A Exortação para os Crentes que Sofrem. 4:19.
2. Fidelidade da parte dos Pastores. 5:1-4.
Observe os deveres, os motivos e o galardão do Pastor.
3. Submissão, Humildade, Confiança, Vigilância e Constância da parte dos Crentes. 5:5-11.
4. A Conclusão e Despedida do Livro. 5:12-14.
II PEDRO
Data do livro.
66 d.C.
Autor do livro.
O Apóstolo Pedro. 1:1.
Esboço simples do livro. O Verdadeiro Conhecimento e A Esperança Segura.
1. O verdadeiro conhecimento - no qual devemos crescer. Capítulo 1.
2. Os falsos mestres - que estavam para vir. Capítulo 2.
3. A promessa segura - para os últimos dias. Capítulo 3.
Esboço mais completo do livro. O Verdadeiro Conhecimento e a Esperança Segura.
1. O verdadeiro conhecimento - no qual devemos crescer. Capítulo 1.
Como “essas coisas” devem ir “aumentando”. Versículos 1-11.
Porque “essas coisas” devem ser lembradas”. Versículos 12-21.
2. Os falsos mestres - que estavam para vir. Capítulo 2.
A destruição causada por eles e sua própria destruição. Versículos 1-9.
Seus excessos e o perigo para os crentes. Versículos 10-22.
3. A “promessa” segura - para os últimos dias. Capítulo 3.
A promessa mantida contra os zombadores. Versículos 1-9.
A promessa, um desafio aos crentes. Versículos 10-18.
I JOÃO
Autor e Data do livro.
90 d.C. O Apóstolo João, o último escritor do Novo Testamento. Com suas escritas o Novo testamento termina. Com ele a revelação divina é fechada. É só João que escreveu depois da destruição de Jerusalém em 70 d.C. Provavelmente todos os outros apóstolos tinham morridos quando João escreveu I João, II João, III João e Apocalipse.João já estava muito velho quando escreveu este livro de Éfeso. Éfeso é a cidade de onde originou-se gnosticismo. João falou contra esta mentira neste livro.
Ocasião do livro.
O gnosticismo naqueles dias. Esta religião ensina que a matéria é vil, o conhecimento da verdade vem através do discernimento espiritual, experimental e místico. O gnosticismo tentou (e tenta ainda) harmonizar a palavra de Deus e as filosofias gregas, orientais e pagãs.
Frase Chave do livro.
“Nisto sabemos”.
Esboço Simples do Livro. O Pai Celestial e Seus Filhos.
1. O Pai celestial e Sua Família. 1:1-3:24.
2. A Família de Deus e o Mundo. 4:1-5:21.
Esboço Mais Completo do Livro. Verdade Versus Erro: como saber e permanecer.
Sete Contrastes.
1. A luz versus as trevas. 1:1-2:2.
2. O Pai versus o mundo. 2:3-2:17.
3. Cristo versus o anticristo. 2:18-2:28.
4. Boas obras versus obras malignas. 2:29-3:24.
5. O Espírito Santo versus o erro. 4:1-4:6.
6. Amor versus simulação piedosa. 4:7-4:21.
7. O nascido de Deus versus os outros. 5:1-21.
Nos sete contrastes encontram-se Sete Testes Penetrantes.
1. Da Confissão.
2. Do Desejo.
3. Da Doutrina.
4. Da Conduta.
5. Do Discernimento.
6. Do Motivo.
7. Do Novo Nascimento.
II JOÃO
Data e Autor do livro.
90 d.C. O Apóstolo João de Éfeso.
Ocasião do livro.
“À senhora eleita”. Esta carta foi escrita para ela e seus filhos. Alguns dos filhos dela andaram na verdade e outros não. v. 4. Parece que os outros estavam sendo pervertidos e enganados pela doutrina errada dos enganadores. v. 7-10. João recebeu esta informação dos filhos da irmã dela? v. 13.
Esboço do Livro. A Perseverança na Verdade.
1. Saudação. v. 1-3.
2. Aspecto Prático - Andar em Amor. v. 4-6.
(O amor aos irmãos é o teste central da prática cristã).
A insistência divina no amor. v. 4-5.
A expressão humana do amor. v. 6.
3. Aspecto Doutrinário - Acautelar-se Contra o Erro. v. 7-11.
(A pessoa de Cristo é o teste central da doutrina cristã).
Advertência contra os falsos ensinamentos. v. 7-9.
Advertência contra a caridade falsa. v. 10-11.
4. Despedida. v. 12-13.
III JOÃO
Data e Autor do livro.
90 d.C. O Apóstolo João de Éfeso.
Ocasião do livro.
A carta foi escrita ao amado Gaio sobre algumas coisas dessa igreja que João conheceu. Foi um homem na igreja (Diótrefes) que estava usurpando a autoridade para dominar a igreja toda e tudo que fazia. Devemos observar uma grande verdade. Decisões feitas por uma igreja por causa da usurpação humana e sem base bíblica, não tem validez nenhuma perante Deus. Somente as coisas e decisões feitas pela liderança do Espírito Santo tem validez com Deus. Uma igreja está obrigada para Jesus Cristo e Sua Palavra e nunca deve agir independentemente dEle para fazer sua própria vontade em coisa alguma.
Esboço do Livro. Verdade e Amor Versus Orgulho e Conflito.
1. Destinatário. v.1.
2. Gaio - Serviço em Verdade e Amor. v. 2-8.
Irmãos - testemunho da tua verdade. v. 3.
Irmãos - testemunho do teu amor. v. 6.
3. Diótrefes - Orgulho e Conflito resultantes do mal. v. 9-11.
Procura ter entre eles o primado. v. 9.
E os lança fora da igreja. v. 10.
4. Demétrio - Homem do bom testemunho. v. 12.
Todos dão testemunho de Demétrio. v. 12.
5. Despedida. v. 13-14.
JUDAS
Data e Autor do livro.
66 d.C. Por Judas o irmão de Tiago que escreveu a Epístola de Tiago. 1:1. Então Judas é outro irmão de Jesus. Judas não diz que é apóstolo e nos v. 17-18 está indicado que não foi um apóstolo.
Semelhança entre II Pedro e Judas.
Existe uma semelhança entre II Pedro e Judas no seu conteúdo. Seria bom observar as semelhanças.
1. Aviso contra os hereges.
2. Converteram em dissolução a graça de Deus. II Pedro 2:2 e Judas 4.
3. Introduziram-se encobertamente. II Pedro 2:1 e Judas 4.
4. Seu motivo é avareza. II Pedro 2:3, 15 e Judas 11.
5. Desprezaram a autoridade. II Pedro 2:10 e Judas 8.
6. Arrogantes e vaidosos. II Pedro 2:18 e Judas 16.
7. Ignorantes. II Pedro 2:12 e Judas 10.
8. Arruinara os cultos. II Pedro 2:13 e Judas 12.
9. Comparados a Balaão. II Pedro 2:5 e Judas 11.
10. Vazios das coisas de Deus. II Pedro 2:17 e Judas 12.
11. Exemplos do castigo de Deus – anjos, Sodoma e Gomorra. II Pedro 2:4-6 e Judas 6-7.
Ocasião do livro.
Exortar para “Batalhar pela fé”. Judas 3-4.
Esboço do Livro. Batalhar pela Fé.
1. Saudação. V. 1-2.
2. Porque batalhar pela fé - Mestres Apóstatas. v. 3-16.
Suas perversões dissimuladas - duas negativas básicas. v. 3-4.
Sua condenação certa - três exemplos históricos. v. 5-7.
Seu comportamento ímpio - três exemplos históricos. v. 8-11.
Sua completa falsidade - seis metáforas terríveis. v. 12-13.
A profecia de Enoque - a destruição iminente. v. 14-16.
3. Como batalhar pela fé - nossos verdadeiros recursos. v. 17-23.
Entender que a apostasia foi prevista. v. 17-19.
Edificar, orar no Espírito Santo, guardar-se e esperar. v. 20-21.
Mostrar compaixão por alguns que estão na dúvida. v. 22.
Procurar urgentemente salvar outros, mas manter-se puro. v. 23.
Doxologia - a consumação vindoura. v. 24-25.

Postar um comentário